terça-feira, 17 de março de 2009

A galinha dos ovos misteriosos

Terminamos os trabalhos para o dia do pai e começamos a trabalhar a Páscoa e a semana da leitura.

Começamos a falar da Páscoa e a seguir fomos ver esta bonita história, download feito em :http://www.scribd.com/doc/12529700/Os-Ovos-Misteriosos

Fica a história:

Slide 1

OS OVOS MISTERIOSOS Uma história de Luísa Ducla Soares e Manuela Bacelar

Slide 2

“ Era uma vez uma galinha que todos os dias punha um ovo. E todos os dias vinha a dona, com uma cestinha, tirar-lho. - Já pus 1.000 ovos. Podia ser mãe de mil filhos. Mas não tenho nenhum por causa da gente gulosa - cacarejou certa manhã a galinha. – Vou fugir.

Slide 3

Se bem o pensou melhor o fez. Quando a dona entrou na capoeira, como de costume, esgueirou-se pela porta aberta. Só parou na mata. Logo aí tratou de fazer o seu ninho com folhas secas, palhas, penugem, farrapos de lã. Nunca se vira ninho mais lindo, redondo, confortável. Sentou-se nele e pôs um ovo muito branquinho

Slide 4

-Vou encher a barriga antes de começar a chocar, que aqui ninguém me traz de comer resolveu a galinha, afastando-se em busca do almoço. Demorou-se, porque ali tudo lhe era estranho. Quando voltou, qual não foi o seu espanto ao ver o ninho cheio de ovos de todos os tamanhos e feitios.

Slide 5

- Cocorocó… O que vem a ser isto? - disse ela. - Na minha capoeira tiravam-me os ovos, aqui oferecem-mos. Mas que sorte! E logo se aninhou. Daí em diante, a galinha mal saía do choco. Estava preguiçosa, sentia o corpo quente, quente como uma botija.

Slide 6

O tempo foi passando. Quanto, não sabia, porque não aprendera a contar nem se guiava pelo calendário. Até que … crac. O primeiro ovo se abriu e de lá saiu um bicharoco de bico retorcido. Ai, mas que filho, eu até desmaio! Em vez de ser pinto é um papagaio. exclamou a galinha.

Slide 7

No dia seguinte, outro ovo se abriu e de lá saiu, rastejando, uma criatura comprida e sarapintada. Ai, mas que filho, como ele é diferente! Em vez de ser pinto é uma serpente. _ exclamou a galinha.

Slide 8

Nessa mesma tarde, o maior dos ovos partiu-se ao meio. A galinha espreitou, desconfiada. Ao ver o que tinha à sua frente, pôs-se a cacarejar. Ai, mas que filho, este é de truz ! Em vez de ser pinto é uma avestruz.

Slide 9

Faltavam ainda dois ovos. Que esconderiam lá dentro? A galinha, curiosa, picou um deles. Mas ia caindo para o lado. Ai, mas que filho! Deve vir do Nilo. Em vez de ser pinto é um crocodilo.

Slide 10

Ainda não se tinha calado quando sentiu um reboliço no último. Ao ver a penugem amarela, bateu a asa de contentamento e escancarou o bico: Ai, mas que filho! Diz o meu instinto Que este finalmente é mesmo um pinto.

Slide 11

- Olhem a minha ninhada! - mostrava ela às galinhas do mato. - É tão variada e tão engraçada. - Trata só do teu pinto. Não ligues aos outros bichos. - aconselhava a perdiz. Mas como podia ela abandona-los depois de os ter chocado com tanto amor ? Que outra mãe havia de tratar deles? Era feliz, mas vivia num desassossego.

Slide 12

O papagaio voava para as árvores e ela não sabia voar. O crocodilo só estava bem dentro de água e ela não sabia nadar. A serpente metia-se por todos os buracos e ela era gorda demais para a poder ir buscar.

Slide 13

A avestruz, essa, devorava tudo, não havia comida que lhe chegasse. Só o pinto, naturalmente se comportava como um pinto.

Slide 14

Mas ela de todos gostava. De todos cuidava. Coçava a serpente quando ela tinha cócegas porque à pobrezinha faltavam as patas. Enrouquecia de tanto tagarelar com o papagaio que queria sempre conversar.

Slide 15

Cansava-se a carregar petiscos para a comilona da avestruz. Esgravatava o chão em busca de sementes para o pinto. E nos intervalos lavava as dentuças ao crocodilo.

Slide 16

Tudo parecia correr bem até que apareceu no bosque um rapaz. - Ah, que belo frango! - disse ele, ao ver o filho verdadeiro da galinha. - Vou assá-lo para o jantar. -Cocorocó -refilou a galinha, o que quer dizer na sua língua « não lhe toques, senão pico-te ». O rapaz riu. Pois, quem tem medo de uma galinha? E apanhou o frango.

Slide 17

Foi então que a serpente, ao ver o que se passava, se pôs a assobiar à sua frente, mostrando os dentes de veneno. -Ai, uma serpente !- gritou ele e atirou-se ao lago para lhe escapar. Foi a vez do crocodilo avançar de boca aberta. -Ai, que este me come! - gritou novamente o rapaz, subindo para a outra margem com o frango debaixo do braço.

Slide 18

Aí estava o papagaio, empoleirado num árvore: És ladrão, és ladrão, vou meter-te na prisão! És ladrão, és ladrão, vou prender-te na prisão! Aí estava o papagaio, empoleirado numa árvore.. És ladrão, és ladrão vou prender-te na prisão! És ladrão, és ladrão vou prender-te na prisão!

Slide 19

- Um polícia…assustou-se o moço. - Deixa-me fugir. Mas logo atrás de si começou a ouvir uns passos, primeiro distantes, depois cada vez mais próximos, a grande velocidade. Era a avestruz. Apavorado, pensando que era um polícia que o perseguia, o rapaz largou a ave e só parou, esbaforido, na aldeia.

Slide 20

Às costas da irmã avestruz, o frango voltou para casa.

Slide 21

Para festejar, a galinha juntou todos os filhos e fez-lhes um bolo com vários andares. Um tinha milho para o frango. Outro, peixe para o crocodilo. Outro, fruta para o papagaio. Outro, ratos para a serpente. E por cima, a enfeitar, sete berlindes, um martelo e vinte pregos, porque a avestruz só gostava de pitéus extravagantes.

Slide 22

Depois do jantar os filhos fizeram uma roda à volta da galinha e puseram-se a cantar: Somos todos irmãos, somos todos diferentes: há uns que têm bico, outros que têm dentes, há uns que têm escamas, outros que têm asas, na terra e na água fazemos nossas casas. Eu só tenho pescoço. Eu voo pelo ar. Eu nado a quatro patas. Eu cá gosto de andar. Somos todos diferentes, mas todos queremos bem à boa da galinha que é a nossa mãe.

Slide 23

MORAL DA HISTÓRIA TODOS DIFERENTES TODOS IGUAIS”

Aqui ficam algumas imagens do reconto e registo da históriaMarço de 2009 197 Março de 2009 198 Março de 2009 202Março de 2009 203 Março de 2009 207 Março de 2009 204 Março de 2009 205 Março de 2009 210 Março de 2009 211 Março de 2009 212 Março de 2009 213Março de 2009 214 , porque as outras foram digitalizadas e ficaram no computador do jardim. Puro esquecimento o meu. Este bonito trabalho em forma de livro, ainda não encadernado, foi feito por:

Margarida; Beatriz; Nuno; Sofia Guedes e Sofia Rego.

Os outros meninos começaram a fazer a cestinha da Páscoa. Toca a pintar pratos e “naprons”.

Março de 2009 195 Março de 2009 196 Março de 2009 200 Março de 2009 201 Março de 2009 218 Março de 2009 218 Março de 2009 219 .

As cestinhas vão ficar muito bonitas e muito coloridas.

Amanhã será dia de prepararmos a história que vamos contar aos meninos de outro jardim e depois receberemos os pais na nossa sala.

Que alegria a dos malandrecos.

Isabel.

Beijinhos.

Os Malandrecos

10 comentários:

Xinha disse...

É verdade...andamos mesmo em sintonia e assim os nossos meninos, apesar de longe, ficam mais próximos.
Beijinhos da Xinha

Príncipes e Princesas disse...

Agora já temos as primeiras folhas da história "Os Ovos Misteriosos" no nosso blog. Vão lá espreitar...
As vossas cestinhas devem ficar muito queridas. Depois queremos ver o resultado.
Beijinhos Príncipes e Princesas

Educadora de Infância disse...

E uma alegria muito justificada... são malandrecos muito trabalhadores e com ideias muito boas!

Beijinhos para todos da Sala do Arco-íris

Luz disse...

Está o Máximo! É uma das nossas histórias preferidas.
A nossa colega Flávia Domingues do blogue Palavras Menores publicou na @rca comum e na Janela do meu Jardim esta história desenhada e falada pelas suas crianças. Vale a pena ouvi-la. (Os meninos da Brandoa gostam muito porque acham muita graça à pronuncia).
A vossa também está a ficar um espanto.
Luz e meninos da Brandoa.

Os Malandrecos disse...

Pois ficamos Xinha, muito mais próximos.
Beijinhos.

Os Malandrecos disse...

Principes e princesas, nós depois iremos espreitar.
Beijinhos.

Os Malandrecos disse...

Olá Juca as ideias vão surgindo conforme o entusiasmo, ou não, do grupo.
Umas ideias retiradas daqui, outras ideias retiradas de acolá, com a mistura das nossas ideias, dá, por vezes, bons resultados.
Beijinhos.
Isabel

Os Malandrecos disse...

Luz na nossa só falta mesmo a encadernação. Não há tempo para mais e tenho que jogar com o mesmo.
Outros projectos irão surgir, concerteza, porque os malandrecos estão a ficar curiosos.
E quanto à história da colega, está muito bonita sim. Já a fui espreitar.
Beijinhos.

Jardim de Monserrate disse...

Nós também já trabalhamos essa história e gostamos muito.
Adoramos revê-la no vosso blogue.
Os vossos trabalhos estavam fantásticos, Parabéns.
Meninos do Jardim de Monserrate, sala 4 Educadora Graça

Os Malandrecos disse...

Olá Graça, mais uma vez obrigada pelos elogios.
É sempre um prazer ter-vos por cá.
Beijinhos.
Isabel.

As vogais

Seguidores

Os Malandrecos

Minha foto
Trás os Montes, Portugal